segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Assembléia de Deus - 100 anos

Este ano a Assembléia de Deus celebra 100 anos! Não é um fato histórico?
Existem vários campos congregacionais em que esta gigante evangélica de divide. Mas todos nós somos um só! Assembleianos !
E , mesmos os não assembleianos, mas os batistas, metodistas, presbiterianos, etc... demais denominações evangélicas somos um só povo, não é mesmo?
Adoramos e amamos a Jesus acima de todas as coisas.

Na cidade localizada na Regão dos Lagos, Araruama, um lindo projeto pouco a pouco está se tornando realidade. Apesar de  haver muitas assembleias de Deus na cidade, ainda não existe nenhuma catedral que as represente.

Mas isso com certeza será um passado em breve. A Ass. de Deus em Araruama (localizada no centro da cidade) do campo de Madureira está com um grande projeto já em fase de realização, o qual visa a construção de um grande templo em um dos lugares mais inusitados da cidade.
A igreja agora é dona do prédio onde anos atrás funcionava uma casa de shows. Um lugar onde as pessoas se embriagavam, se envolviam com coisas ilícitas e imorais, agora será templo de adoração ao Rei dos reis! Onde abundou o pecado superabundará a graça!
O prédio fica em um bairro onde existe muita frequência de jovens. Um lugar bastante procurado para quem quer se divertir com amigos, tomar uma bebida, comer pizza ou seja lá o que for. Ou seja, Deus o perfeito estrategista, está estabelecendo seu trono no meio do lugar onde os perdidos buscam felicidade e não acham.
Agora eles terão acesso à verdadeira paz através da construção da Catedral.
A igreja, pastoriada pelo Pr. Julio César Silva está em campanha. Adesivos como este exibido abaixo, estão sendo distribuídos e colados nos carros, casas para que as pessoas se mobilizem a ajudar e a obra cresça cada vez mais rápido.




Voltando ao centenário, vamos ler um pouquinho da história das assembléias de Deus retiradas da nossa adorável Wikipedia:



A Assembleia de Deus chegou ao Brasil por intermédio dos missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, que aportaram em Belém, capital do Estado do Pará, em 19 de novembro de 1910, vindos dos Estados Unidos. A princípio, frequentaram a Igreja Batista, denominação a que ambos pertenciam nos Estados Unidos. Eles traziam a doutrina do batismo no Espírito Santo, com a glossolalia — o falar em línguas espirituais (estranhas) — como a evidência inicial da manifestação para os adeptos do movimento. A manifestação do fenômeno já vinha ocorrendo em várias reuniões de oração nos Estados Unidos (e também de forma isolada em outros países), principalmente naquelas que eram conduzidas por Charles Fox Parham, mas teve seu apogeu inicial através de um de seus principais discípulos, um pastor leigo negro, chamado William Joseph Seymour, na rua Azusa, Los Angeles, em 1906.


A nova doutrina trouxe muita divergência. Enquanto um grupo aderiu, outro rejeitou. Assim, em duas assembleias distintas, conforme relatam as atas das sessões, os adeptos do pentecostalismo foram desligados e, em 18 de junho de 1911, juntamente com os missionários estrangeiros, fundaram uma nova igreja e adotaram o nome de Missão de Fé Apostólica, que já era empregado pelo movimento de Los Angeles, mas sem qualquer vínculo administrativo com William Joseph Seymour. A partir de então, passaram a reunir-se na casa de Celina de Albuquerque. Mais tarde, em 18 de janeiro de 1918 a nova igreja, por sugestão de Gunnar Vingren, passou a chamar-se Assembleia de Deus, em virtude da fundação das Assembleias de Deus nos Estados Unidos, em 1914, em Hot Springs, Arkansas, mas, outra vez, sem qualquer ligação institucional entre ambas as igrejas.


A Assembleia de Deus no Brasil expandiu-se pelo estado do Pará, alcançaram o Amazonas, propagou-se para o Nordeste, principalmente entre as camadas mais pobres da população. Chegaram ao Sudeste pelos idos de 1922, através de famílias de retirantes do Pará, que se portavam como instrumentos voluntários para estabelecer a nova denominação aonde quer que chegassem. Nesse ano, a igreja teve início no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, em 1924, para a então capital da República. Um fato que marcou a igreja naquele período foi a conversão de Paulo Leivas Macalão, filho de um general, através de um folheto evangelístico. Foi ele o precursor do assim conhecido Ministério de Madureira, como veremos adiante.

A influência sueca teve forte peso na formação assembleiana brasileira, em razão da nacionalidade de seus fundadores, e graças à igreja pentecostal escandinava, principalmente a Igreja Filadélfia de Estocolmo, que, além de ter assumido nos anos seguintes o sustento de Gunnar Vingren e Daniel Berg, enviou outros missionários para dar suporte aos novos membros em seu papel de fazer crescer a nova Igreja. Desde 1930, quando se realizou um concílio da igreja na cidade de Natal, a Assembleia de Deus no Brasil passou a ter autonomia interna, sendo administradas exclusivamente pelos pastores residentes no Brasil, sem contudo perder os vínculos fraternais com a igreja na Suécia. A partir de 1936 a igreja passou a ter maior colaboração das Assembleias de Deus dos Estados Unidos através dos missionários enviados ao país, os quais se envolveram de forma mais direta com a estruturação teológica da denominação.Vale lembrar da ajuda,metodista aos nossos irmãos suecos.


Organização denominacional

As Assembleias de Deus brasileiras estão organizadas em forma de árvore, onde cada Ministério é constituído pela igreja-sede com suas respectivas filiadas, congregações e pontos de pregação (subcongregações). O sistema de administração é um misto entre o sistema episcopal e o sistema congregacional, onde os assuntos são previamente tratados pelo ministério, com forte influência da liderança pastoral, e depois são levados às assembleias para serem referendados apenas. Os pastores das Assembleias de Deus podem estar ligados ou não às convenções estaduais, e estas se vinculam a uma convenção de âmbito nacional. Particularmente na América do Sul, hoje existe muitas Assembleias de Deus autônomas e independentes.

byPIU

Nenhum comentário: