quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Esperança ininterrupta

E essa fé.. essa esperança que não morre...

Não é a primeira vez, muito menos a segunda
Em que penso que não existe mais cor nessa flor
Por diversas vezes atirei esse sonho no mar..
Mas, ele não afunda..
Apesar de ser resistente como metal
A sua pureza o faz leve como a pena..

A pena das asas de um pássaro chamado esperança
Esperança que não morre
Esperança que não me deixa parar de crer no impossível
Parar de crer que o milagre irá acontecer...
Que mais cedo ou mais tarde, as coisas serão bem diferentes

Eu sempre canso e permito a frieza entrar em mim..
Só permito, mas ela não entra, ainda que eu queira
Ainda que as vezes tente fugir
E não veja mais motivo algum pra continuar esperando...

... A esperança não morre!

E eu realmente já nem sei qual o propósito disso
Pensei ser unilateral.. agora vejo, é bidirecional
Há algo que ainda deve ser aprendido com isso
Ainda há algo para se libertar...

E as razões, quem sabe um dia, eu vá entender..
E ver minha esperança se tornar meu contentamento...
Ah.. e esse contentamento.. essa alegria.. também não vai morrer..
Talvez esteja aí  a explicação..

Quando se espera por algo que durará pouco,
A espera é por curto tempo
Mas, quando se espera algo que será eterno
A espera parece ser uma eternidade...
Então, acho que tudo está valendo a pena...

Decido então que deixarei essa esperança viver
Seja como for, a deixarei renascer a cada novo dia
E farei dela um motivo pra lutar
Meu motivo pra sonhar..
E quando o milagre chegar... ah..

A esperança me dirá "Valeu a pena esperar"
Cada lágrima quente que desceu estava regando
E me preparando pra viver um eternidade de felicidade!!!

Talvez essa esperança, no entanto, seja apenas um alimento
Um alento que me faz manter meus mais puros sonhos..
E algum dia finalmente ela afunde
Trazendo a tona outras esperanças...

Quem sabe ... Ah.. mas sei não hein...
Acho que essa esperança não morre..

Um comentário:

Babi disse...

Esperança por um mundo melhor, esperança que nossos sonhos se realizem, esperança, esperança, esperança... Não morre mesmo Pri, mas cansa as vezes, neh? Alimentar a base de dor e frustração? Sentir estas lágrimas quentes, o rosto inchado, nariz entupido e os soluços por ter esperança por uma coisa que não chega? Que simplesmente não acontece?

Então que tenhamos esperanças, porém por coisas reais e que um dia paremos de acreditar em utopias.

Beijos!